terça-feira, abril 25, 2006

Tu és...

Acordei a pensar como te poderia descrever...

Não é fácil!

Sinto tanto esta "coisa" que me invade! Que os sentimentos atropelam as palavras, atropelam o pensamento...

Sinto tanto o que se passa entre nós!

Todos os fios de ouro que entrelaçam a nossa estória... todos eles, apagam os momentos difíceis que vivemos. Não há nada que possa fazer para apagar tudo isto que sinto! Sinto! E ponto.

Tudo começou há uns 7 anos atrás...

Vi-te pela primeira vez em casa dos nossos amigos, estavas no início de uma fase complicada da tua vida - foi o que me disseram, olhando com ternura para o teu filho de três anos - um caminho destrutivo de auto-flagelação, de negação e afastamento de tudo o que pudesse implicar mais do que apenas um contacto efémero...

Falámos horas a fio, brincámos os três... tudo parecia fazer sentido, tu e eu, e ele... mas era cedo, tinhas ainda um caminho a percorrer... e eu também.
Mas o teu olhar terno, doce, meigo, ficou desde essa altura gravado para sempre no meu coração, na minha alma, no meu pensamento! O toque de outro modo inconsequente das nossas mãos, transformou-se em presságio...

Encontramo-nos um tempo depois, por acaso, entre amigos, e trocámos olhares comprometidos por entre nuvens de fumo e luzes baixas...

Passou o tempo, correu a vida, e dois anos mais tarde voltámos a encontrar-nos, no mesmo sítio, e, quem sabe... à mesma hora... e nesse momento esqueci-me de quem me tinha acompanhado (fiquei depois com uma culpa imensa, mas na verdade foi mais forte que eu...)... e falei contigo toda a noite, sedenta que estava das tuas palavras, e como dois apaixonados voámos dali para ficarmos envoltos naquela bolha de ar puro que só nós respirámos!

E só voltámos a ver-nos um ano, e muitas vidas, depois...

Encontro marcado na praia - depois de ter ido ouvir-te tocar, de ver o brilho dos teus olhos reflectir as luzes do palco, um terno olhar de criança no fundo dos teus olhos, e cada acorde que saía das tuas mãos vibrar em ti... vibrar em mim, e ficar envolta numa névoa de paixão... - E na praia, de novo, saímos, num voo quase autista, para dentro da nossa bolha. Não dei pelo passar do tempo, pelo Sol quente que brilhava no céu, pela brisa de fim de tarde, mas subitamente era hora de voltar para casa....

Uma semana e muitos, muitos sms depois convidaste-me para jantar. E de novo o tempo escorreu entre os nossos dedos entrelaçados num só. Devorámos as palavras numa identificação com pensamentos e sentires... e para sempre os traços do teu rosto, do teu olhar, ficaram gravados em mim! Começou assim...

Passou o tempo... e a cada nota que me mostravas sentia cada vez mais orgulho em ti, em quem és, no que fazes, nas tuas paixões... na forma como vives, como sentes, como vês o mundo... como saboreias cada instante de vida... no adolescente que trazes dentro de ti, que luta com o adulto que és, com os sonhos que tens...

E mesmo quando as sombras desceram sobre nós não deixei de sentir contigo, de acreditar em ti, de sentir uma felicidade imensa com os teus sucessos, de ver a criança no fundo do teu olhar quando encontras um instrumento novo, quando ouves uma música que te faz arrepiar por dentro, quando partilhas cada instante, cada pedaço de quem és... do teu sorriso meigo, e triste, quando olhas para mim na procura de compreensão, de entendimento... Sofro com cada respiração que prendes num suspiro sufocado... com cada insegurança que sofres... com cada afastamento a que nos votas...

E mesmo assim, depois de tudo, continuámos a voar para dentro da nossa bolha e a deixar o tempo de lado...

E sei que tudo isto te assusta, passou o tempo... e continuas a resolver o passado em que te envolveste... e continuo a acreditar em ti, em quem és por dentro, muito antes de teres sofrido tudo o que sofreste, muito antes de tudo o que nos fizémos sofrer...

Tens ainda caminho a percorrer... uma viagem interior... e nas tuas viagens de sonho pelo mundo, no sonho que tornaste realidade, que mereces viver mais que ninguém, sei que vais encontrar o caminho de regresso a quem és... que vais re-encontrar o caminho de Casa!

Tu és, afinal, aquele que, aconteça o que acontecer, estará para sempre no meu coração e no meu pensamento.
Tu és, afinal, aquele que, aconteça o que acontecer, me fará ficar feliz apenas por saber que estás bem.
Tu és, afinal, aquele por quem irei sempre cuidar.
Tu és, afinal, aquele que, por tudo o que és, eu Amo.
Tu és, afinal, aquele que, aconteça o que acontecer, eu Amo.

Etiquetas: ,

4 Comments:

Blogger bolotavoadora said...

Amiga, sou de S.A.C. e gostaria de lhe sugerir uma visita ao meu blog onde exponho uma proposta para a construção de ciclovias com vista a ligar escolas, piscina e muitos outros edificios públicos.
Faço uso de imagem de satélite para expor a ideia.
Conto com a sua visita e comentário.
Se lhe agradar, divulgue o meu blog junto de pessoas que conheças em Santo António dos Cavaleiros.
Obrigado.
Um abraço.

terça mai 02, 12:44:00 da tarde 2006  
Blogger Bass Line said...

Não posso deixar de dizer que há comentários mais apropriados do que este primeiro. Embora as ciclovias sejam algo que tu devias experimentar, e sei que vais!
Bjs Gds Dcs

sexta mai 05, 12:39:00 da manhã 2006  
Blogger Bass Line said...

O Amor Existe!!
Bjs Gds Dcs

sexta mai 05, 12:42:00 da manhã 2006  
Blogger Ana Coelho said...

O Amor Existe!!
Independente do tempo que passa, da vida que aconteçe...
Bjs Gds Dcs

terça mai 09, 10:34:00 da manhã 2006  

Enviar um comentário

<< Home

Solar X-rays:

Geomagnetic Field:
Status
Status
 
From n3kl.org
Number of online users in last 3 minutes